Sexta-feira, 5 de Dezembro de 2008

O combate às alterações climáticas também representará para a indústria europeia uma nova oportunidade, assim saibamos promover a respectiva investigação e desenvolver as tecnologias necessárias e adequadas.


Continuamos a consumir petróleo, carvão e gás a uma taxa de crescimento nunca vista, enquanto, ao mesmo tempo, destruímos as nossas florestas e degradamos os nossos mais relevantes ecossistemas.


Como resultado a terra continua a aquecer cada vez mais rapidamente.
Estes problemas são globais e, por isso, só são resolúveis no quadro do actual sistema internacional.


Cada país não pode continuar a tomar medidas políticas isolado do seu vizinho e sem atender também ao que vai acontecendo do outro lado da fronteira.
Por isso, os governos vão tomando cada vez mais rapidamente consciência de que há que concordar e acordar num programa global para proteger o planeta.
Um dos instrumentos mais importantes na tomada de decisão política a nível mundial são os parlamentos de cada país.


Atenta à gravidade da questão em apreço é necessário que se crie uma massa critica de legisladores, de todos os partidos, de todos os países, de todos os continentes, que sejam capazes de compreender os perigos que partilhem uma visão para a sustentabilidade do planeta e que estejam preparados para liderar o desafio nos seus diversos parlamentos.
É necessário criar um sistema global rápido e flexível que permita uma imediata apreensão por todos os legisladores das questões mais relevantes que respeitem às alterações climáticas.


Consciente da gravidade da questão o Parlamento português, no quadro da presidência portuguesa da União Europeia, vai realizar em conjunto com o Parlamento Europeu, nos próximos dias 1 e 2, de Outubro de 2007, uma reunião, em Bruxelas, co-presidida pelo presidente da Assembleia da República e pelo presidente do Parlamento Europeu subordinada ao tema das Alterações Climáticas.


Nessa reunião participarão os legisladores dos vinte e sete parlamentos dos Estados-membros que têm como missão, em cada parlamento nacional, reflectir sobre as questões das alterações climáticas.

 

Na verdade, face, designadamente, às recentes decisões relativas às alterações climáticas aprovadas pelo Conselho Europeu da Primavera, na reunião de 9 de Março último e pela Cimeira dos G-8, em Heiligendamm, na Alemanha, em 6 e 8 de Junho, importa desenvolver estratégias de adaptação àquelas alterações, a nível nacional, regional e global.


Esta reunião é, pois, uma oportunidade para promover o debate a nível parlamentar e trocar experiências entre parlamentares dos diversos Estados com vista a “assumir o desafio” que se coloca às nossas sociedades face aos objectivos a atingir e às acções comuns a desenvolver para o efeito, nomeadamente até 2020 e até 2050.


A questão das alterações climáticas é tão premente que o próprio Parlamento Europeu sentiu a necessidade de instituir uma nova comissão que tem por objecto apresentar propostas relativas às politicas de alterações climáticas bem como o acompanhamento pelo Parlamento Europeu das propostas do negociadores europeus no quadro post 2012, ou seja no quadro post Quioto.


Sabemos que, no mínimo, a situação actual é catastrófica que os danos estão a ter um enorme custo social e económico.
Sabemos que este assunto se encontra no top da agenda politica e sabemos que é um imperativo categórico tomar medidas de urgência.
Como os peritos das Nações Unidas têm demonstrado nos seus últimos relatórios preliminares já nos encontramos atrasados.
Contudo, embora difícil, ainda é possível reverter a tendência para a catástrofe.
Sabemos que os próximos dois anos são politicamente decisivos para se atingir um objectivo a nível global.


Se não atingirmos um acordo global neste período a situação será de muito difícil reversão.

No entanto, temos de estar confiantes principalmente por duas razões:
Em primeiro lugar, porque se começa a verificar uma crescente preocupação com a importância das políticas de sustentabilidade climática e em segundo lugar porque as nações industrialmente mais desenvolvidas concordam com a necessidade de fazer cortes substanciais nas emissões de CO2 procurando chegar a um acordo global no quadro das Nações Unidas.


Daí a importância da Conferência de Bali, em Dezembro de 2007, sobre o futuro do Protocolo de Quioto e da Cimeira da União Europeia sobre Energia e Alterações Climáticas, a ter lugar na Primavera de 2008.
A União Europeia tem de estar atenta e tem de ter um papel relevante e determinante no combate às alterações climáticas mostrando ao mundo os seus objectivos e os seus propósitos, ou seja, promovendo uma politica que possa ser apresentada como exemplo aos poluidores internacionais mais relevantes, chamem-se eles América, Rússia, China ou Índia.


Claro que afrontar esta Verdade Inconveniente, como lhe chamou Al Gore, não se fará de graça, terá custos e alguns bem elevados. Porém, o combate às alterações climáticas também representará para a indústria europeia uma nova oportunidade, assim saibamos promover a respectiva investigação e desenvolver as tecnologias necessárias e adequadas.
Os poderes que foram conferidos pelo Parlamento Europeu à sua Comissão Eventual de Alterações Climáticas são demonstrativos das preocupações existentes e representam uma aposta firme numa maior protecção do ambiente, realçando as novas oportunidades económicas que derivam do investimento nessas novas tecnologias e em energias renováveis.


O mandato de que é titular para proceder ao estudo do impacto das alterações climáticas no sistema económico, social, regional e mundial, ao nível do ambiente e ao nível da saúde publica é demonstrativo da enorme preocupação que este tema hoje representa para a União Europeia.


Dai que seja de realçar a circunstância de o Parlamento português, no quadro da presidência da União, ter promovido o encontro interparlamentar dos próximos dias 1 e 2 de Outubro que, estou certo, irá ser importante para se assegurar uma concentrada, coerente e efectiva contribuição dos Parlamentos dos 27 países da União Europeia para a ajuda na resolução daquilo que Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU, apelidou como “a mais importante ameaça para a humanidade”.

 

António Ramos Preto

 


ETIQUETAS:

publicado por r às 12:13 | link do post | comentar

1 comentário:
De weber a 5 de Dezembro de 2008 às 15:13
Caríssimo,

Em primeiríssimo lugar: saudar a emergência do nosso "expert" nestas matérias decisivas para o presente e ainda para o futuro da Humanidade - neste espaço de diálogo e confronto blgoesférico, o camarada António Ramos Preto.

Em segundo lugar gostaria de levantar um "pequeno" problema.

As questões climáticas estão, estreitamente, ligadas aos excessivos consumos de energias fósseis, hidrocarburos.

A montante destes consumos está uma industria agressiva e deveras importante em quase TODOS os PIB's do planeta: a industria automóvel, cujos produtos (na sua grande maioria) se locomovem a hidrocarburos.

A crise actual, assim como o que ocorreu com a alta dos preços do barril de crude, faz alguns meses, levaram esta indústria a situações dramáticas.

Como se compreende, neste contexto de luta pela correcção das alterações climáticas - os apoios, sem condições energéticas, dos governos da UE e USA à indústria tradicional do automóvel?!...

Abraço,

José Albergaria


Comentar post

ACREDITAMOS NO FUTURO
História do PS
RECEBA NOTIFICAÇÃO DE POST´S E A NEWSLETTER - REGISTE-SE

COLOQUE AQUI O SEU ENDEREÇO DE EMAIL:

Delivered by FeedBurner

LINKS
POST'S RECENTES

AGRADECIMENTO E RESULTADO...

OBRIGADA PELA CONFIANÇA!

AMADORA: O NOSSO COMPROMI...

BALANÇO AUTÁRQUICO, EM RE...

ACREDITAMOS NO FUTURO

FELIZ NATAL E BOM ANO NOV...

REPORTAGEM SIC - PROGRAMA...

PS AMADORA - LISTAS 2012

EXEMPLO DE BOA GESTÃO!!

“Anuário Financeiro dos M...

ARQUIVO
ETIQUETAS

25 abril(2)

acessibilidades(1)

acordo troika(1)

amadora(15)

ambiente(13)

apresentação candidatura(2)

autárquicas 2009(13)

autárquicas 2013(3)

balança tecnológica(1)

balanço 2005 - 2009(1)

biblioteca(1)

candidatos(2)

candidatura faul(1)

carla tavares(8)

carla tavares 2013(4)

casamento homossexual(1)

comício(4)

comissão politica(1)

compromisso(1)

comunicação social(1)

concelhia(1)

conferências(1)

congresso faul(1)

congresso nacional(7)

convenção autárquica(3)

cril(2)

cultura(2)

debate parlamentar(3)

defender portugal(2)

demolições(1)

discurso(2)

editorial(1)

educação(7)

eleições(6)

eleições europeias(7)

eleições legislativas 2011(5)

empreendedorismo(3)

emprego(3)

entrevista(3)

equipa municipal(1)

equipamentos(1)

europeias(3)

faul(4)

feliz natal(1)

festa jovem(1)

finanças(1)

formação(3)

fórum(1)

fotos(1)

freguesias(1)

gestão(1)

governo(1)

homenagem(1)

homenagem militantes(1)

integração social(1)

internacional(1)

jantar candidatura(1)

joaquim raposo(6)

joaquim raposo 2010(3)

josé sócrates(3)

juventude(1)

legislativas 2009(3)

lei financiamento partidos(1)

listas(2)

listas 2012(1)

manifesto eleitoral(1)

manuel alegre(1)

marca ps(3)

mensagem(1)

metro(1)

moção(1)

moções(1)

newsletter(1)

newsletter 11(1)

newsletter 12(1)

newsletter 2(1)

newsletter 3(1)

newsletter 4(1)

newsletter 5(1)

newsletter 6(1)

newsletter 8(1)

newsletter 9(1)

opinião(23)

orçamento do estado(1)

partido socialista(2)

política(27)

presidenciais 2011(2)

programa eleitoral(3)

ps(12)

ps amadora(7)

regionalização(2)

requalificação urbana(5)

resultados(2)

smas(2)

social(4)

sócrates 2011(2)

sondagens(11)

tempo antena(3)

tgv(2)

transportes(3)

todas as tags

ESTATUTO EDITORIAL
O BLOGUE “O MELHOR DA AMADORA SÃO SEMPRE AS PESSOAS” PRETENDE SER UM ESPAÇO DE LIVRE OPINIÃO, CRITICO, DE PENSAMENTO E DE DIVULGAÇÃO, NORTEANDO-SE PELO SOCIALISMO DEMOCRÁTICO, CIMENTO IDENTITÁRIO DO PARTIDO SOCIALISTA. O SEU CORPO REDACTORIAL INTEGRA MILITANTES DO PARTIDO SOCIALISTA DA AMADORA E MEMBROS DA SUA COMISSÃO POLÍTICA CONCELHIA. PRETENDEMOS DIVULGAR PENSAMENTO, CRITICA, REFLEXÃO, INFORMAÇÃO, OPINIÃO SOBRE TEMAS INTERNACIONAIS, NACIONAIS, REGIONAIS E LOCAIS. CONVIDAREMOS, SEMPRE QUE O ACHARMOS OPORTUNO E AJUSTADO, MILITANTES, OU NÃO, QUE POSSAM CONTRIBUIR PARA O DEBATE QUE ESTIVERMOS A TRAVAR. OS TEXTOS SERÃO, SEMPRE, ASSINADOS PELOS SEUS AUTORES. OS COMENTÁRIOS SERÃO POSSÍVEIS, E BEM VINDOS, MAS OBEDECERÃO A ALGUNS CRITÉRIOS: 1- OS AUTORES DOS COMENTÁRIOS NUNCA PODERÃO SER ANÓNIMOS; 2- NOS SEUS COMENTÁRIOS NÃO PODERÃO NUNCA UTILIZAR LINGUAGEM OBSCENA, OFENSIVA OU INSULTUOSA; 3- O CONTRADITÓRIO É ACEITÁVEL E DESEJÁVEL; 4- OS COMENTADORES NÃO PODERÃO, INSISTENTEMENTE, REPETIR ARGUMENTOS, OPINIÕES E CRITICAS; 5- OS RESPONSÁVEIS DO BLOGUE COLOCARÃO, SEMPRE, EM ESPERA OS COMENTÁRIOS AOS POSTES, PARA UMA “LEITURA” PRÉVIA, ANTES DE SEREM COLOCADOS ON-LINE; 6- SÓ SERÃO CONSIDERADOS OS COMENTÁRIOS QUE, DIRECTAMENTE, ESTIVEREM RELACIONADOS COM O POSTE PUBLICADO. SEMPRE QUE ALGUM COMENTÁRIO SEJA OBJECTO DE RESPOSTA, SÊ-LO-Á FEITO PELO AUTOR DO POSTE VISADO, SALVO SE A REDACÇÃO DO BLOGUE ENTENDER DE MODO DIVERSO. A REDACÇÃO DO BLOGUE “O MELHOR DA AMADORA SÃO SEMPRE AS PESSOAS”
O NOSSO E-MAIL
p.socialistadaamadora@gmail.com